www.grupeer.com

Olá, Visitante. Por favor Entre ou registe-se se ainda não for membro.
Perdeu o seu e-mail de activação?
25 / Jun / 2019, 02:35

Entrar com nome de utilizador, password e duração da sessão


www.grupeer.com



Membros
Estatisticas
  • Total de Mensagens: 18113
  • Total de Tópicos: 3943
  • Online Hoje: 152
  • Online Total: 346
  • (09 / Mai / 2019, 12:25)
Utilizadores Online
Membros: 0
Visitantes: 151
Total: 151
151 Visitantes, 0 Membros

Autor [EN] [ES] [IT] [DE] [FR] [NL] [RU] Tópico: Porcaria de música!  (Lida 2006 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline José Costa

  • Veterano
  • *****
  • Mensagens: 3,822
Porcaria de música!
« em: 27 / Jan / 2012, 00:34 »
Boas.
Numa nas minhas leituras pela net, encontrei algo que realmente dá para pensar, ou pelo menos, me dá para pensar. Básicamente o artigo dizia que a grande maioria das bandas e cantores actuais não adiciona muito ao progresso intelectual ou cultural da humanidade.

A grande maioria dos sucessos de uma banda é baseádo numa única música, que entrou pelo ouvido adentro. Os CDs são constituidos por uma única faixa de interesse, com todas as outras a servirem apenas para encher o disco, o que acaba por contribuir para o sucesso da venda online, em que se pode comprar apenas a faixa que nos agrada. Por sua vez, a cada vez mais falta de qualidade das músicas, faz com que cada vez mais muitos se recusem a comprar as mesmas, optando pela pirataria, pois a música simplesmente deixa de ter valor, tornando-se numa forma barata de entretenimento. A maioria do público com algum nível cultural ouve as músicas de outros tempos, que são as únicas que ainda conseguem vender CDs para se ouvir e não para se consumir.

As nuances do audio estão bem visiveis nas músicas dos anos 70,80 enquanto que nos tempos actuais o que se tem são batidas.  Deixou-se de "saborear" a música para se passar a consumir fast food musical.

E este "fastfood" é vem visivel nas músicas que muitas vezes são utilizadas pelos profissionais, nos trabalhos de reportagem BBC (Bodas, Batizados e Casamentos). São utilizados sucessos actuais, que muito faz o gosto dos clientes, mas que duas semanas depois são insuportáveis de ouvir, de tantas vezes serem tocádas na rádio e TV, de tantas vezes serem ouvidas em tudo quanto é canto.

O profissional deve preocupar-se em agradar ao cliente, mas também devia preocupar-se em o educar. Porque nem todas as músicas actuais se prestam a eternizar os momentos, do primeiro dia, daquilo que se pretende que seja o resto das suas vidas. Tantas músicas boas que existem, e tanta porcaria de música é utilizada para complementar as reportagens BBC. Culpa dos clientes, mas principalmente, culpa dos profissionais. Boas.
O profissional inovador não segue a multidão. Ele tem lucidez para remar contra a maré e não se importa em ser taxado como "um estranho no ninho". - Luiz Roberto Carnier

Offline Filipe Araújo

  • Veterano
  • *****
  • Mensagens: 736
Re: Porcaria de música!
« Responder #1 em: 27 / Jan / 2012, 19:03 »

 Boa tarde a todos,

Algum tempo atrás criei aqui um tópico que infelizmente não vingou, ou seja, a afluência de respostas foi muito abaixo para aquilo que eu contava, sabendo que tratava de uma problemática bastante universal aos membros deste site: músicas para filmes de casamento. Tal aconteceu, face a minha frustração do resultado das minhas pesquisas, ou seja, sentia que investia tempo demais para o sumo que exprimia. Dito isto, concordo plenamente com o texto de José Costa, ou seja, é difícil ouvir algo que nos prenda, mais ainda onde as letras das mesmas devem traduzir algo com conteúdo para os objectivos que se deseja.

 Olho para trás e creio que fiz um tópico bastante inocente, acima de tudo por três razões, a primeira porque gostos são gostos, o que para mim pode ser bom para outros pode não ser. Segundo, porque descobri o Vimeo, ou seja, variadíssimos vídeos já feitos e com provas dadas e com resultados a vista. Terceiro, esta pode doer, incluo-me aí, ou seja, encontrei lá vários clips publicados de operadores de câmara/editores estrangeiros e que as escolhas músicais já as vi por cá varias vezes repetidas, pode ser coincidência, mas a conclusão a que cheguei foi a de ter percebido tarde o que outros á muito, e a meu ver bem, já tinham percebido. Na busca de influências procurei espaços mais alternativos, como projectos de design contemporâneo ou até mesmo por spots de publicidade. Mas sem dúvida, que a relação tempo investido/resultados foi o Vimeo que deu cartas.

 Quanto ao facto de: “O profissional deve preocupar-se em agradar ao cliente, mas também devia preocupar-se em o educar.” , é um assunto sensível, até porque coloca em causa a imagem do profissional e pode carimbar-lhe uma imagem que ele não deseja ser associado. A meu ver, a solução passa por antecipar o perfil do cliente, ou seja, se é mais romântico ou mais alternativo e antecipar uma Play list de recomendações, acredito que dentro dos milhares de músicas que existem, é sempre possível encontra um entendimento entre o gosto do casal e a imagem do profissional. Como se não bastasse, nunca foram tantas as ferramentas disponíveis, sejam os links do youtube, “we transfer”, vimeo, etc, etc.

 Para terminar, não poderia de deixar de agradecer a José Costa pelo seu tempo, partilha e palavras sábias. Tenho aprendido muito consigo, razão porque espero que continue por muito e muito tempo, afinal já são muitas são as vezes que leio as suas palavras e que traduzem muitas das minhas dúvidas do quotidiano profissional. Apenas se antecipa e mais uma vez cheguei tarde.

Peço desculpa pelo desabafo,

 Cumprimentos, Filipe Araújo.

PortugalVideo - Fórum

Re: Porcaria de música!
« Responder #1 em: 27 / Jan / 2012, 19:03 »
www.grupeer.com


Offline José Costa

  • Veterano
  • *****
  • Mensagens: 3,822
Re: Porcaria de música!
« Responder #2 em: 29 / Jan / 2012, 06:24 »
Boas.
Se bem que aparentemente você tenha abordado duas questôes ou temas, eu consigo ver muito mais que isso. No entanto, e por agora, vou apenas argumentar duas coisas:

1 - A razão pela qual o tópico que refere não vingou, prende-se com a mesma razão de todos os outros tópicos, seja quem fôr o "autor": a maioria dos users que por aqui circula entende que ganha mais em não participar no "debate".

Não sabem o quanto enganados estão!

Para participar nos tópicos, torna-se necessário muitas vezes expremir uma opinião. Ora dar opinião neste meio pode dar origem a criar algumas inimizades. Para além disso, escrever toma tempo, e tempo é coisa que a grande maioria não tem. Têm tempo para os facebooks do mundo, e têm tempo para ver os videos dos youtubes, mas não têm tempo para debater ideias e trocar opiniôes com colegas de profissão. Essa é umas das razôes pelas quais, e pelo meu ponto de vista, nunca vão passar de "filmadores". E este "filmadores" tem uma conotação negativa.

O pessoal devia perder o medo de participar, e dar a sua opinião. Limitarem-se a ler o que os outros escrevem aqui (e cada vez mais são menos os que aqui participam), limitarem-se a ler não lhes ensina nada que não possam aprender, no dobro, noutros lugares. É o participar que permite retirar ensinamentos, que permite evoluir. E abrir as mentes

2 - Educar não é o mesmo que impôr. Se explicarmos ao cliente as razôes para as nossas razôes, ele saberá dar-nos razão. Mas torna-se necessário ter razôes válidas, sejam elas estéticas, artisticas ou técnicas, e não apenas desculpas. Dizer ao cliente que tem de ser assim porque sim, sem uma razão aparente, não dá. Uma coisa é dizer ao cliente que ou é como nós queremos ou não leva nada, e outra totalmente diferente é dizer ao cliente que estamos disponiveis para fazer como ele quer, mas que pela nossa experiência profissional, que por esta ou aquela razão, o trabalho fica mais bem conseguido se fôr feito de uma outra forma. Até hoje ainda não tive nenhum cliente final que não concorda-se comigo.

E disse "cliente final", por uma simples razão: ter intermediários nestas coisas não funciona. Se o futuro casal contrata a casa de fotografia para fazer o video, lhe entrega um CD e diz que quer aquelas músicas no filme, a casa de fotografia vai entregar o trabalho a alguém e dar a mesma indicação: utilizar aquelas músicas. Não interessa se as músicas são boas, más ou uma porcaria. O Cliente  (futuro casal) quer aquelas músicas e não à ponto para discusão. Não adianta querer explicar as coisas, porque na maioria das vezes, as casa fotográficas não querem saber disso para nada. E a opção é utilizar mesmo as músicas escolhidas pelo casal.

Educar não é o mesmo que impôr. Expliquem ao cliente o porquê de querermos fazer assim, tenham razôes válidas, e o cliente saberá seguir os conselhos do profissional. Esta actividade ensinou-me que o cliente nunca sabe nada. Muitos são os que julgam que sabem alguma coisa, mas na verdade nada sabem. Então, compete a nós profissionais, ensinar o cliente, sem directamente o envergonhar, mostrar que ele até sabe umas coisas (mesmo que nada saiba), mas que se forem feitas de uma outra maneira ficam melhores. E isto tanto se aplica a quem se movimenta nas reportagens BBC (Bodas, Batizados e Casamentos), como nos institucionais. Já no broadcasting as regras são um pouco diferentes, porque aí todos sabem o que se pretende. Boas.
O profissional inovador não segue a multidão. Ele tem lucidez para remar contra a maré e não se importa em ser taxado como "um estranho no ninho". - Luiz Roberto Carnier

Offline rui ressurreição

  • Veterano
  • *****
  • Mensagens: 689
Re: Porcaria de música!
« Responder #3 em: 29 / Jan / 2012, 17:15 »
em relação às músicas o que tenho para dizer é o seguinte:
-primeiro, a maioria das músicas que se escolhem têm direitos de autor, e das duas uma, ou se arrisca ou então substituem-se por outras equivalentes sem direitos de autor.
-segundo,  colocar uma música que nós gostamos num batizado ou casamento, pode "não casar" com as imagens do filme e com a história que se pretende contar...em tudo há uma estética que tem de ser respeitada e tb conversada...

outra coisa:se a moda do youtube , começa a pegar nos vídeos de bbc e tb institucionais, qq dia teremos imagens 4:3, aos trambolhões, desfocadas, lavadas e com zooms em demasia e tb com som mono...se a moda pega...portanto é preciso educar e falar com o cliente, mostrando-lhe as vantagens e desvantagens de utilizar esta ou aquela música, efeito, tipo de letra, etc...muito tem de mudar no audiovisual português, e cabe-nos a nós, profissionais desta área , darmos o pontapé de saída...bom fim de semana.boas.

PortugalVideo - Fórum

Re: Porcaria de música!
« Responder #3 em: 29 / Jan / 2012, 17:15 »
www.grupeer.com


 

www.grupeer.com